ECO FACHADA lisboa . portugal
concurso internacional . finalista
2012


As estatísticas mostram que são as cidades as grandes causadoras do aquecimento global, e em média, 50% da população mundial habita em cidades. As cidades e os edifícios que compõem o nosso habitat são a evidência de uma forma obsoleta de construir e fazer arquitectura, e é essa a nossa missão principal, resolver de uma forma tecnologicamente evoluída e auto-suficiente as lacunas energéticas, térmicas e lumínicas dos edifícios, contribuindo assim para uma melhor sustentabilidade do mundo em que vivemos.

Partindo dessa necessidade e dessa vontade, surge a proposta que aqui se apresenta e que tem como objectivo aumentar exponencialmente a rentabilidade e a eficiência energética dos edifícios através de produtos e serviços de gestão sustentável, dinâmica e adaptativa. Esta proposta representa uma mudança de paradigma no mercado actual de tecnologias limpas aplicadas a edifícios, que de um modo geral, oferecem soluções tecnicamente pouco evoluídas e com fraca rentabilidade face ao elevado investimento inicial.

O sistema pode ser adicionado à fachada de qualquer edifício, transformando esta solução num agente de produção de energia fotovoltaica, com um rendimento anual de aproximadamente 215Kwh/m2, enquanto proporciona também uma solução ideal de sombreamento exterior, reduzindo em 30% o consumo energético dos sistemas de climatização.

Os princípios básicos que estão na génese deste sistema são o bio-mimetismo e o conceito de interactividade. Tal como na natureza, o sistema é programado para reagir a estímulos exteriores e interiores, tomar decisões, ter autoconsciência, e memória. O mercado alvo primordial será o de edifícios de escritórios, principalmente pelo facto de serem grandes consumidores de sistemas de climatização e consequentemente, o seu gasto de energia ser bastante elevado comparativamente com edifícios de habitação, e também, devido ao potencial investidor das empresas, para quem a aquisição deste tipo de sistemas é uma enorme mais valia.

FICHA TÉCNICA
tipo: concurso EDP Inovação 2012
cliente: Fundação EDP
localização: lisboa, portugal
arquitectura: inês gomes, joão pedro miguel, vitor cataluna ribeiro
engenharia: ana oliveira da costa, carlos gimenez
plano financeiro: sofia carvalho ferreira, catarina de azevedo cruz
visualização: beyond-architects
custo: 200.000 €
dimensão: 1.500 m2
estado: finalista

todas as images © beyond-architecs
info@beyond-architects.com
00_00
/