CENTRO DAS ARTES DO CARNAVAL torres vedras . portugal
concurso internacional . concluído
2011


Com este concurso, houve a oportunidade de devolver à cidade um grande espaço que tem estado abandonado e inexplorado à vários anos.

O lugar é organizado pelos seus dois ícones, o edifício do antigo matadouro municipal e a pedreira abandonada e naturalmente, o espaço entre ambos. Estes dois elementos são o ponto de partida para a pesquisa e no final, eles podem ser ambos identificados como partes vitais do novo edifício. De facto, a extensão que sugerimos não existe de forma visível, é antes um objecto camuflado, escondido por baixo da topografia do terreno.

A proposta terá como pano de fundo a escarpa existente, valorizando e requalificando, mantendo-a como elemento marcante na paisagem, assim como todo o espaço amplo do logradouro, que será reconvertido num amplo espaço verde de fruição pública, prolongando, por assim dizer, este carácter bruto e natural. Propõe-se, deste modo, um edifício “enterrado”, que se esconde no interior dos muros do terreno e que valoriza a escarpa preexistente.

Com este tipo de intervenção, cria-se não só um espaço cultural e de lazer que promove a experimentação e inovação artística, mas um espaço público verde ao ar livre, multifuncional, integrando-se nas novas teorias urbanas propostas para esta área que promovem o espaços públicos e verdes da cidade. Toda esta estrutura funcional, organiza-se através de uma malha irregular, que ao nível do piso 0 delimita os diversos espaços do projecto e ao nível da cobertura cria percursos e modela todo o espaço verde, que surge naturalmente como interpretação do caos envolvente.

A divisão dos espaços é construída através da utilização de tubos de pvc circulares translúcidos, que deixam transparecer a utilização de cada espaço. Estes tubos são rematados ao nível da cobertura por vidro de cor variável, que permite uma entrada de luz diferenciada para cada espaço. A cobertura desenvolve-se como prolongamento do talude verde existente, garantindo assim dois factores, a continuidade da zona verde e por sua vez o isolamento térmico de todo o museu, usando apenas a terra.

FICHA TÉCNICA
tipo: concurso
cliente: município de torres vedras
localização: torres vedras, portugal
arquitectura: ines gomes, vitor cataluna ribeiro
engenharia: krunal premgi; ricardo dias; ricardo mendonça; nuno soares
paisagismo: carina oliveira
visualização: beyond-architects
custo: 2.460.000 €
dimensão: 3.075 m2
estado: proposta de concurso

todas as images © beyond-architecs
info@beyond-architects.com
00_00
/